Sobre nós

Barreiros, é uma aldeia, situada no Vale do Lis, pertence á freguesia de Amor e dista 7 quilómetros da cidade de Leiria. A sua capela edificada em 1925 tem como padroeira N. Sra. da Conceição, encontrando-se na mesma a imagem de S. Jorge, a quem o povo dedicava grande veneração como protetor dos seus gados, havendo uma altura do ano em que os seus donos davam a volta á capela com os seus animais em sinal de gratidão. Até então o povo deslocava-se á Igreja da freguesia (Amor) para cumprir a sua devoção. A população exercia a sua atividade na agricultura, onde abundava a cultura do arroz e do milho. É uma das aldeias em que a mulher usava o tradicional chapéu típico da região de Leiria.

O Rancho, é um departamento da Associação Desportiva e Recreativa de Barreiros, foi fundado em 1973, pesquisa e divulga a riqueza e a beleza da arte popular. Danças e músicas apareceram por valiosa recolha que pessoas da nossa região efetuaram, dado o seu empenho e dedicação, consultando na altura as pessoas mais idosas e que melhor memória possuíam.

No corpo musical encontram-se: acordeão, cega rega de canas, ferrinhos, o antigo cântaro, as pinhas, bandolim, cavaquinhos, viola, realejo.

Quanto aos trajes, eles são os mais variados, mas conservando a linha própria desta região, podemos destacar os mais elucidativos:

Ø  Trajes de trabalho na cultura: do arroz, do milho, das vindimas.

Ø  Trajes Domingueiros de ir: à missa, mercado, romarias.

Ø  Trajes de Camponeses abastados.

Ø  Trajes de Noivos.

O Rancho abarca e conserva no seu seio um vasto reportório de danças e cantares, baseadas no trabalho do campo. Os seus moinhos, o pinhal, as sachas, as desfolhadas, as vindimas, a matança do porco, a britada dos pinhões bem como as festas e romarias eram verdadeiras ocasiões de convívio do povo.

É membro da Associação de Folclore da Região de Leiria e Alta Estremadura e sócio efetivo da Federação de Folclore Português.